EFE/EPA/ALEXEI DRUZHININ / SPUTNIK / KREMLIN
EFE/EPA/ALEXEI DRUZHININ / SPUTNIK / KREMLIN

Steven Seagal é nomeado 'enviado especial' da Rússia para relações com EUA

Ator escreveu no Twitter que leva 'muito a sério' a tarefa encomendada e se sentiu 'profundamente honrado' ao ser informado sobre a notícia

O Estado de S.Paulo

06 Agosto 2018 | 17h25

MOSCOU - O ator americano Steven Seagal, que há dois anos tem cidadania russa, foi nomeado embaixador de Moscou para as relações culturais com os Estados Unidos, informou nesta segunda-feira, 6, a chancelaria do país.

"O famoso ator, produtor e músico Steven Seagal foi designado enviado especial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia para assuntos humanitários e o legado histórico-cultural entre a Rússia e os EUA", diz a nota oficial. A nota indica que Seagal exercerá suas atividades de forma não remunerada.

A tarefa do ator será "reforçar os contatos diretos, o entendimento e a confiança mútua" entre as partes. Assim, está previsto que, como emissário da Rússia, Seagal contribua para a "discussão e implementação de projetos bilaterais nos âmbitos da cultura, da arte, da ciência, da educação e do esporte".

+ Documentos divulgados pelo FBI acusam ex-assessor de Trump de envolvimento com Kremlin

Além disso, o enviado especial "se somará aos esforços para a conservação de lugares emblemáticos nos EUA que estão relacionados com a Rússia" e ao estudo de "outras páginas da história comum que despertam grande interesse entre os cidadãos de ambos países".

O ministério agradeceu também Seagal pela disposição de colocar "sua experiência e prestígio" a serviço das relações russo-americanas e criar uma "atmosfera mais positiva" entre ambos países, que passam atualmente por uma fase muito tensa.

O ator escreveu no Twitter que leva "muito a sério" a tarefa encomendada e se sentiu "profundamente honrado" ao ser informado sobre a notícia.

O ex-embaixador americano na Rússia Michael McFaul apontou a nomeação como "sem sentido". "Duvido que o senhor Seagal alcance sucesso na melhoria das relações russo-americanas. Pode ser que seja popular na Rússia, mas na sociedade americana praticamente carece de influência", disse o diplomata a uma emissora de rádio russa.

Para McFaul, que segundo a Rússia "fez uma grande contribuição à deterioração" dos laços bilaterais, Moscou está "humilhando" seu embaixador em Washington, Anatoli Antonov, com a nomeação de Seagal.

Seagal, de 66 anos e republicano declarado, é um grande admirador do presidente russo, Vladimir Putin, a quem descreveu como "um de maiores líderes mundiais".

Nos últimos anos, o ator, que também tem cidadania sérvia, viajou à Rússia em várias ocasiões, chegando a visitar em particular a Crimeia, cuja anexação pela Rússia apoiou publicamente. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.