Strauss-Kahn e camareira chegam a acordo nos EUA

O ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI) Dominique Strauss-Kahn e a camareira que o havia acusado de abuso sexual chegaram a um acordo em Nova York, anunciou a justiça local nesta segunda-feira.

AE, Agência Estado

10 de dezembro de 2012 | 19h01

O acordo para encerrar o caso iniciado em maio do ano passado foi firmado em audiência no Bronx, em Nova York, pelo juiz Douglas McKeon.

Os detalhes, como o valor a ser pago por Strauss-Kahn a Nafissatou Diallo, de 33 anos, são confidenciais e não foram divulgados.

O acordo encerra um escândalo internacional que obrigou Strauss-Kahn, de 63 anos, a renunciar à direção do FMI e minou suas pretensões de candidatar-se à presidência da França nas eleições realizadas em maio último.

Ele ainda está sendo investigado na França sob a acusação de proxenetismo. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAStrauss-Kahnacordo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.