Strauss-Kahn entra em acordo com camareira que o acusou de abuso em NY

O ex-diretor-gerente do FMI Dominique Strauss-Kahn, de 63 anos, e Nafissatou Diallo, camareira de 33 anos que o havia acusado de abuso sexual, chegaram a um acordo ontem em Nova York, informaram fontes judiciais. O compromisso para encerrar o caso foi firmado em audiência no Bronx pelo juiz Douglas McKeon. Detalhes, como o valor a ser pago a ela por Strauss-Kahn, não foram divulgados. O acordo dá fim a um escândalo internacional que obrigou Strauss-Kahn a renunciar ao cargo e minou sua candidatura a presidente da França - eleições realizadas em maio e vencidas por François Hollande. Ele, contudo, ainda é investigado na França sob a acusação de proxenetismo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.