Richard Drew/Efe
Richard Drew/Efe

Strauss-Kahn não tem planos 'imediatos' de voltar à França

Ex-diretor do FMI deve ficar com sua mulher em Washington, onde possuem uma residência

Efe

25 de agosto de 2011 | 09h32

NOVA YORK - O ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI) Dominique Strauss-Kahn planeja ir a Washington em breve, mas não tem planos "imediatos" de voltar à França, confirmou nesta quarta-feira à Agência Efe a porta-voz dos advogados defensores do político francês.

 

A porta-voz recusou detalhar se DSK - como o político é conhecido na França - já se encontra na capital dos Estados Unidos, mas confirmou que a esposa dele, Anne Sinclair, já se deslocou à cidade, onde o casal é proprietário de uma casa na área de Georgetown.

 

Apesar de descartar o retorno imediato de Strauss-Kahn à França, a porta-voz evitou detalhar quando ele planeja viajar para seu país natal, onde, até ser acusado de crimes sexuais nos EUA, era considerado o candidato favorito a desbancar o atual presidente, Nicolas Sarkozy, nas eleições presidenciais do ano que vem.

 

Já a Promotoria de Manhattan afirmou à Efe que, por enquanto, não têm notícias de que os advogados ou algum enviado do político e francês tenham ido à delegacia de Polícia de Nova York para reaver o passaporte de DSK, embora o documento já estivesse disponível para retirada.

 

Após o juiz Michael Obus arquivar o processo que desde maio acusava Strauss-Kahn de crimes sexuais contra uma camareira de hotel, o francês retornou ao apartamento onde vive em Nova York e saiu para jantar em um restaurante da área de West Village com sua mulher e sua filha Camille para comemorar a libertação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.