Strauss-Kahn será inocentado, afirma advogado

O ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional, (FMI), Dominique Strauss-Kahn, será inocentado das acusações que pesam sobre ele se tiver um julgamento justo, disse o advogado norte-americano de Strauss-Kahn, Benjamin Brafman, em uma entrevista que foi exibida hoje pela televisão francesa.

ANDRÉ LACHINI, Agência Estado

22 de maio de 2011 | 20h04

Brafman disse que as acusações contra Strauss-Kahn, de tentativa de estupro, "serão provadas falsas" de acordo com os primeiros indícios de uma investigação privada que é feita por detetives particulares contratados por seu escritório de advocacia. Brafman foi entrevistado pelo canal TF1 da França em Israel, onde está realizando visitas familiares.

"Ainda estamos nos primeiros estágios da investigação, mas, das coisas que li no dossiê, estou confiante", disse Brafman. Strauss-Kahn, de 62 anos, enfrenta várias acusações sobre uma suposta tentativa de estupro de uma camareira de 32 anos no Sofitel de Nova York.

Ele está sob prisão domiciliar em Nova York. Em entrevista publicada no jornal israelense Haaretz, Brafman afirmou que Strauss-Kahn irá "se declarar inocente e no final do processo será inocentado". As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.