Straw recusa-se a revelar sua fonte sobre conexão urânio-Iraque

O chanceler britânico, Jack Straw, voltou a abrdar nesta segunda-feira o tema da suposta tentativa do Iraque de comprar urânio no Níger. E, embora tenha insistido em que sua fonte é confiável, recusou-se a revelar qual o serviço que forneceu essa informação. ?Acreditamos na veracidade das informações contidas no dossiê de 24 de setembro?, disse Straw à rede BBC, insistindo em que se trata de uma fonte diferente da que foi utilizada e depois considerada falsa pelos EUA. Por sua vez, o premier britânico, Toni Blair, insistiu hoje em que sente orgulho de seu papel na derrubada de Saddam Hussein e defendeu as informações dadas pelos serviços de inteligência britânicos que ajudaram seu governo a obter aprovação para ir à guerra. Falando aos jornalistas no final de uma reunião de dois dias entre 14 líderes de centro-esquerda de várias partes do mundo, o chefe do governo britânico não respondeu diretamente a uma pergunta sobre se sua administração sustenta a versão de que o Iraque tentou comprar urânio no país africano, tema que já está sendo chamado pela imprensa de conexão Níger. Referindo-se à invasão do país árabe, Blair disse não ter dúvidas de que no futuro, mesmo levando em conta divergências no passado, ?nós poderemos reconstruir o Iraque como um opaís próspero e estável e, como resultado disso, o mundo será um um lugar mais seguro?. ?Como país, nós ficaremos orgulhosos do que fizemos?, acrescentou.

Agencia Estado,

14 Julho 2003 | 11h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.