Subsecretário diz que EUA não pretendem atacar Irã

O subsecretário de Estado dos EUA, Nicholas Burns, disse em entrevista nesta quinta feira que acredita em solução diplomática com o Irã e afirmou que os americanos não pretendem iniciar uma nova guerra.Em entrevista a uma emissora de rádio divulgada nesta quinta-feira, Burns disse acreditar que as tensões entre Teerã e Washington podem ser resolvidas diplomaticamente, embora "todas as opções estejam sobre a mesa no que diz respeito ao Irã". Para impedir o Irã de fornecer tecnologia armamentista usada por grupos de insurgentes xiitas contra forças norte-americanas no Iraque, os Estados Unidos não irão atacar o país, segundo declarações de Burns. "Temos sido bem claros, não queremos cruzar a fronteira e entrar no Irã, não temos a intenção de atacar o Irã, em termos do que estamos fazendo no Iraque", disse Burns à NPR. Em uma outra entrevista, para a CNN, o subsecretário reiterou que os EUA estão "num caminho diplomático" e não têm intenções de lançar uma ação militar contra o Irã. "Acreditamos que a diplomacia pode ter sucesso e não achamos que um conflito militar seja inevitável ou sequer provável", disse ele à CNN. "O fato é que os Estados Unidos estão defendendo seus interesses ao deter esses oficiais paramilitares do Irã no Iraque, porque eles estão atacando nossos soldados´, disse. O governo do presidente George W. Bush alertou o Irã por várias vezes para que o país pare de incentivar a violência no Iraque, e as forças norte-americanas já detiveram uma série de autoridades iranianas em operações desde dezembro. O Irã, um país majoritariamente xiita como o Iraque, exigiu a libertação dessas autoridades. O embaixador norte-americano no Iraque, Zalmay Khalilzad, disse na semana passada que os Estados Unidos apresentarão nas próximas semanas provas do envolvimento dessas pessoas na violência que abala o Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.