Sudanês que chefia missão é acusado de ter criado milícia

O general sudanês que comanda a missão de observadores da Liga Árabe na Síria é acusado de ter criado a milícia janjaweed, grupo paramilitar que seria responsável por vários massacres na região de Darfur.

O Estado de S.Paulo

28 de dezembro de 2011 | 03h02

Mohamed Dabi é um dos mais leais generais do presidente do Sudão, Omar Bashir, líder que é alvo de um mandado de prisão do Tribunal Penal Internacional (TPI) por crimes contra a humanidade.

Segundo artigo publicado ontem no site da revista Foreign Policy, Dabi foi a Darfur em 1999 comandar a reação do governo sudanês e aliou-se às tribos árabes contra os clãs da etnia masalit. Na disputa, teria ajudado a criar os janjaweed.

O papel de Dabi no massacre de Darfur, segundo a reportagem, é apenas um dos episódios que marcam uma longa carreira em defesa dos interesses do regime de Bashir. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.