Sudanesa é condenada à morte por 'apostasia'

Uma gestante sudanesa que recentemente casou-se com um cristão foi condenada à morte em seu país depois de recusar-se a negar sua fé no cristianismo.

AE, Agência Estado

15 Maio 2014 | 15h53

Meriam Ibrahim, de 26 anos e grávida de oito meses, foi condenada por apostasia no domingo. Os juízes deram a ela quatro dias para "arrepender-se" e escapar da pena de morte.

O relato do caso foi feito nesta quinta-feira pelo advogado de Meriam, Al-Shareef Ali al-Shareef Mohammed. Ele disse que pretende recorrer da sentença.

Filha de um muçulmano com uma cristã, Meriam casou-se com um cristão em 2011. Ela tem um filho de um ano e meio, que está com ela na cadeia.

No Sudão, o código penal criminaliza a conversão de muçulmanos a outros credos e prevê a pena de morte para os condenados pelo "delito". Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Sudão pena de morte apostasia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.