Sudão amplia ataques na fronteira com o Sudão do sul

O Exército do Sudão está realizando bombardeios com o objetivo de fechar a principal rota de fuga de refugiados que buscam escapar da violência no sul do país, disse um rebelde nesta segunda-feira. Um americano que vive na região, ex-membro de grupos de ajuda, documentou cinco ataques e combates na semana passada.

AP, Agência Estado

20 de fevereiro de 2012 | 12h28

Os ataques das Forças Armadas Sudanesas têm se concentrado na estrada que vai de Kordofan do Sul, no Sudão, para Yida, no Sudão do Sul, disse Arnu Loddi, porta-voz do Movimento-Norte de Liberação do Povo do Sudão, um grupo rebelde.

Mais de 20 mil refugiados já fugiram para um campo em Yida na tentativa de escapar da violência, e a Organização das Nações Unidas (ONU) está preocupada com a possibilidade de outros milhares tentarem o mesmo.

De acordo com Loddi, as Forças Armadas Sudanesas têm lançado mísseis de uma base militar em Kadugli, no Sudão, em direção à região da fronteira. Ele disse que as forças sudanesas também realizaram "uma emboscada a um caminhão que levava civis a Yida" na semana passada. Loddi não tinha informações sobre o número de mortos no ataque.

Um porta-voz do Exército sudanês não respondeu imediatamente aos pedidos para que comentasse as informações. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Sudãocombates

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.