Sudão: autoridades confirmam 28 mortes em acidente de avião

Pelo menos 70 passageiros estão desaparecidos e 26 ficaram feridos; causa ainda é desconhecida

Efe,

11 de junho de 2008 | 06h38

As autoridades sudanesas confirmaram nesta quarta-feira, 11, que pelo menos 28 pessoas morreram, outras 70 estão desaparecidas e cerca de 26 ficaram feridas no acidente no qual um avião da Sudan Airways se incendiou na noite de terça-feira, no aeroporto de Cartum.  Veja também:Vídeo mostra imagens do acidente Avião explode após pouso em aeroporto no Sudão O diretor da Polícia de Cartum, o tenente-coronel Mohamed Osman Mahjoub, explicou aos jornalistas que pelo menos 28 cadáveres foram retirados dos escombros do avião, enquanto 70 passageiros permanecem desaparecidos. Mahjoub assinalou que ainda não se sabe se os desaparecidos conseguiram sair do avião e ir para suas casas, sem entrar em contato com as autoridades, ou se permanecem entre os escombros do aparelho, que ficou totalmente carbonizado. Os cadáveres foram transferidos ao necrotério do hospital de Cartum para serem identificados. Por outro lado, a Autoridade Civil de Aviação sudanesa assinalou em comunicado que pelo menos 113 passageiros e dez membros da tripulação foram resgatados com vida. Segundo essa fonte, 217 pessoas viajavam no avião, 203 passageiros e 14 tripulantes. As causas do acidente ainda são desconhecidas. O presidente sudanês, Omar Hassan Ahmad al-Bashir, criou um comitê especial para investigar os motivos do acidente. O aparelho procedia de Amã (Jordânia) e tinha feito escala no aeroporto sudanês de Porto Sudão, situado no Mar Vermelho, antes de dirigir-se para a capital sudanesa, onde as más condições meteorológicas atrasaram sua aterrissagem. Segundo fontes do aeroporto de Cartum, o incêndio começou no motor da asa direita do avião, um Airbus, pouco depois da aterrissagem. Uma vez que havia chegado em solo, a aeronave saiu da pista, que se encontrava molhada pela chuva, antes de deter-se, abrir as portas e estender as rampas de emergência. Um sobrevivente do acidente, Kamal Edim Ibrahim, que escapou com sua mulher e seus dois filhos, disse à rede de televisão Al Jazera, que quando se iniciou o incêndio, só havia uma porta de emergência aberta, pela qual todos os passageiros se precipitaram para tentar sair do aparelho. Histórico O Sudão tem um histórico recheado de acidentes aéreos. Em maio, um avião caiu em uma área remota do país e matou 24 pessoas. Em julho de 2003, um Boeing 737 velho da Sudan Airways, que voava de Port Sudan a Cartum, caiu logo após a decolagem. Todas as 115 pessoas a bordo morreram no desastre.  Após a tragédia, as autoridades sudanesas culparam o embargo econômico americano ao Sudão pela queda do avião, porque a aeronave estaria voando com peças antigas. O governo dos EUA informou que o embargo não inclui peças de reposição para aeronaves.

Mais conteúdo sobre:
Sudãoacidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.