Sudão do Sul acusa Sudão de mandar tropas para fronteira

O Sudão do Sul acusou o Sudão nesta segunda-feira de mobilizar tropas ao longo da mal definida fronteira entre ambos. Os dois países estão envolvidos em uma disputa sobre o uso de oleodutos que desde janeiro prejudica a produção de petróleo do Sul. Negociações estão previstas para serem retomadas na terça-feira, na Etiópia.

AE, Agência Estado

03 de setembro de 2012 | 08h40

De acordo com o porta-voz do Exército do Sudão do Sul, coronel Philip Aguer, o vizinho moveu milhares de soldados fortemente armados em direção à fronteira no fim da semana passada, para áreas próximas aos Estados produtores de petróleo de Unity e Nilo Superior. "Quanto a nós, estamos mantendo posições defensivas, só agiremos se formos atacados", disse o coronel.

O governo do Sudão afirmou que as forças estão perseguindo membros do grupo rebelde Movimento para Libertação do Povo Sudanês (SPLM, na sigla em inglês) e que não tem intenção de invadir o vizinho. O país acusa o Sul de apoiar os rebeldes.

Em uma rodada de negociações ocorrida em agosto, os dois países chegaram a um acordo provisório sobre quanto o Sudão do Sul deve pagar para transportar através dos oleodutos do Sudão cerca de 350 mil barris de petróleo bruto por dia. O Sudão, no entanto, não permitirá a passagem antes de um acordo sobre a segurança na fronteira, pois quer que o Sul interrompa o apoio ao SPLM. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Sudão do SulSudãopetróleodisputa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.