Sudão do Sul exige acordo antes de retomar exportação de óleo

O Sudão do Sul interrompeu totalmente produção de petróleo em uma disputa com o Sudão sobre tarifas de transporte da commodity. O país somente vai retomar a produção depois que ambos alcançarem acordo cobrindo segurança e a disputada região de Abyei, informou o ministro do petróleo do país, neste domingo.

REUTERS

30 de janeiro de 2012 | 13h16

O Sudão do Sul tornou-se independente em julho, depois que um acordo de paz em 2005 com Cartum encerrou uma guerra civil que durava décadas. Cerca de 2 milhões de pessoas morreram no conflito.

Mas ambos os lados não resolveram uma longa lista de disputas, incluindo suas indústrias petrolíferas, divisão de dívidas, traçado de fronteira e quem deve controlar Abyei, uma enorme região devastada pela guerra civil.

O Sudão do Sul ficou com cerca de três quartos do petróleo do Sudão quando se separou, mas ainda precisa de oleodutos que percorrem o território de seu vizinho no norte para exportar a commodity. Os dois lados não concordam sobre tarifas de trânsito do produto.

O Sudão do Sul depende do petróleo para obter cerca de 98 por cento de suas receitas e Cartum também depende das tarifas de transporte desde o ano passado, quando a perda das receitas dos campos petrolíferos fez o país mergulhar em uma grave crise econômica.

A produção do Sudão do Sul é de cerca de 350 mil barris por dia, segundo dados informados em novembro por autoridades do país.

"A produção vai ser retomada quando tivermos um acordo amplo e todos os acordos forem assinados. O Sudão precisa reconhecer a fronteira de 1956, o que significa que precisam devolver todas as áreas sob ocupação", disse o ministro de petróleo e mineração, Stephen Dau.

Tudo o que sabemos sobre:
SUDAOEXPORTACAOPETROLEO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.