Sudão do Sul ingressa oficialmente na União Africana

País declarou sua independência do Sudão em 9 de julho, previsto no Acordo Geral de Paz de 2005

15 de agosto de 2011 | 11h44

ADIS ABEBA - Pouco mais de um mês após declarar sua independência, a República do Sudão do Sul ingressou nesta segunda-feira oficialmente na União Africana (UA) como o país membro número 54.

 

Em uma cerimônia na sede da UA em Adis Abeba (Etiópia), a delegação do novo Estado, liderada por seu presidente, Salva Kiir, entoou com emoção o hino nacional, que foi ouvido pela primeira vez em um palco internacional.

 

O presidente da UA, Jean Ping, cumprimentou os presentes em sudanês com a frase "longa vida ao Sudão do Sul", e pediu aos Governos do norte e do sul que apostem em uma paz duradoura e em uma relação amistosa.

 

"Todos sabemos que ainda existem assuntos cruciais pendentes que devem ser enfrentados" por ambos, ressaltou Ping, a quem Kiir respondeu deixando clara sua disposição em manter uma boa relação com seu vizinho do norte.

 

"Reafirmamos nosso compromisso de viver em paz com nossos irmãos e irmãs do Sudão", ressaltou o governante, que admitiu que o novo país ainda deve encarar muitos desafios.

 

Em relação à economia, ele prometeu usar "o dinheiro procedente do petróleo para impulsionar a agricultura e alimentar a população".

 

Após quase duas décadas de guerra civil pela independência do Sudão do Sul, foi assinado em 2005 o Acordo Geral de Paz, que levou o sul a celebrar neste ano um referendo através do qual 98% da população se mostrou a favor da secessão.

 

O Sudão do Sul declarou sua independência em 9 de julho e, pouco depois, solicitou seu ingresso na União Africana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.