Sudão do Sul luta contra violência tribal

O governo do Sudão do Sul está organizando um reforço de 2 mil homens na segurança da cidade de Pibor, na fronteira com a Etiópia, para tentar controlar a mais recente irrupção de violência tribal na região. No sábado, um ataque do grupo Lou Nuer fez com que milhares de membros do rival Murle fugissem da localidade.

PIBOR, SUDÃO DO SUL, O Estado de S.Paulo

02 de janeiro de 2012 | 03h07

A ONG Médicos sem Fronteiras afirmou ter perdido o contato com 130 funcionários após o hospital e outros locais terem sido incendiados durante o ataque. Segundo a BBC, 6 mil combatentes Lou Nuer perseguem os Murle motivados por disputas de gado e estão matando "principalmente mulheres, crianças e idosos".

Na quinta-feira, o MSF confirmou as mortes de dois de seus funcionários em uma troca de tiros ocorrida em Mogadíscio, capital da Somália.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.