Sudão do Sul: Violência étnica deixa 328 mortos

Um total de 328 pessoas da comunidade sul-sudanesa de Murle foram mortas no mês passado em conflitos de motivação étnica, disse hoje o líder do grupo, Jongolei Boyoris, que também é parlamentar na assembleia do Estado de Juncáli.

AE, Agência Estado

08 de agosto de 2013 | 17h37

Segundo Boyoris, a maioria das vítimas era mulheres e crianças. Ele disse ainda que 32 crianças foram raptadas.

O relato de Boyoris não teve confirmação oficial do governo do Sudão do Sul. A própria ONU também não divulgou o número de mortos das batalhas de julho, que ocorreram numa área isolada e subdesenvolvida do país. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Sudão do Sulviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.