Sudão expulsa diplomatas do Canadá e da UE por 'interferência'

Os dois representantes estariam intervindo assuntos internos do Sudão, afirma porta-voz ministerial

Associated Press,

23 de agosto de 2007 | 17h28

O Sudão expulsou o principal diplomata canadense e o enviado da União Européia para o país, afirmando que eles eram "uma intromissão em seus assuntos", de acordo com a agência de notícias estatal nesta quinta-feira, 23. Não ficou imediatamente claro por quê eles estavam sendo expulsos, mas muitos países ocidentais têm sido críticos à política sudanesa para Darfur. Os dois foram convocados separadamente ao Ministério do Exterior na quarta-feira, e receberam seus mandados de expulsão, afirmou a agência Suna, citando o porta-voz ministerial Ali Al Sadeq. Eles estavam "envolvidos em atividades que constituem uma intervenção nos assuntos internos do Sudão, algo que contradiz suas missões diplomáticas", disse o porta-voz. O Ministério não identificou os diplomatas, mas Degerfelt Kent (da UE) e Alan Bones (do Canadá) constavam como diplomatas de suas respectivas regiões em uma listagem."Esse incidente não deve ameaçar as relações entre o Sudão com a UE e com o Canadá", disse Sadeq.

Tudo o que sabemos sobre:
SudãoDarfurCanadáUnião Européia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.