Sudão fecha sucursal da Al-Jazira

Autoridades sudanesas lacraram a sucursal da popular emissora árabe Al-Jazira e detiveram o correspondente do canal para interrogá-lo, anunciou o governo local nesta sexta-feira. Declaração divulgada pelas autoridades responsáveis pela segurança do Sudão diz que a medida contra a Al-Jazira foi adotada ontem com o objetivo de "preservar a segurança, os interesses nacionais e a estabilidade do país"."O canal vinha preparando e difundindo, por intermédio de seu correspondente em Cartum, diversos programas e artigos repletos de mentiras, análises fracas, reportagens tendenciosas e imagens selecionadas" para servir a seus interesses, diz um comunicado divulgado pela agência de notícias Suna, pertencente ao governo.Em Paris, o grupo Repórteres Sem Fronteira denunciou a medida contra a Al-Jazira. "Pedimos aos serviços de segurança que autorizem a reabertura imediata da sucursal da Al-Jazira em Cartum e o fim da censura à emissora", diz comunicado assinado por Robert Menard, secretário-geral dos Repórteres Sem Fronteiras.O correspondente da sucursal, Islam Salih, passou três horas detido, segundo o mesmo comunicado. Mas o editor-chefe da Al-Jazira, Ibrahim Hilal, afirmou que ele continuava detido na noite de hoje, e a informação dos Repórteres Sem Fronteira estaria errada.

Agencia Estado,

19 de dezembro de 2003 | 18h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.