Sudão rejeita ampliação da força de paz africana no país

O governo sudanês rejeitou uma oferta de tropas africanas para desarmar os rebeldes que atuam no país, durante conversações na Nigéria, insistindo que é capaz de neutralizar tanto as milícias árabes pró-governo quanto os rebeldes negros que se enfrentam na região de Darfur, oeste do Sudão.Os rebeldes, por sua vez, disseram que não aceitarão entregar as armas para as forças do governo, a fim de encerrar 18 meses de conflito. O governo sudanês e representantes rebeldes iniciaram hoje conversações na Nigéria para tentar resolver a crise em Darfur, uma semana antes do final de um prazo dado pela ONU para que o governo desarme as milícias árabes, acusadas de lançar uma campanha de limpeza étnica e matar cerca de 30 mil pessoas.O Conselho de Segurança da ONU pode impor uma força de soldados da União Africana de até 3 mil homens para proteger os civis em Darfur, usando a força se necessário, caso o governo sudanês não colabore. O chanceler britânico, Jack Straw, disse que seu governo está preparado para financiar uma força da União Africana para Darfur, onde 1,4 milhão de pessoas foram forçadas a deixar suas casas por causa da violência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.