Suécia quer prender fundador do WikiLeaks

LONDRES

, O Estado de S.Paulo

19 de novembro de 2010 | 00h00

Um tribunal em Estocolmo aprovou ontem um pedido do Ministério Público da Suécia para expedir um mandado de prisão contra Julian Assange, fundador do WikiLeaks, pelas acusações de envolvimento em dois casos de "estupro, abuso sexual e coerção ilegal".

O advogado inglês de Assange, Mark Stevens, disse que as acusações são "falsas e sem fundamento". Para ele, o comportamento da promotoria "não é de acusação, mas perseguição". Segundo um comunicado do tribunal de Estocolmo, os promotores não "conseguiram interrogar" Assange desde que duas mulheres suecas - que o teriam ajudado a criar a base do Wikileaks na Suécia, fizeram as acusações em agosto. Assange fundou o site em 2006 como um fórum para publicação de documentos confidenciais.

O WikiLeaks divulgou milhares de documentos secretos do Pentágono sobre as guerras no Afeganistão e no Iraque. / NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.