Suécia trata pacientes suspeitos de contaminação por polônio

A direção geral do departamento de saúde da Suécia confirmou nesta quarta que examinou três cidadãos suecos para averiguar se eles estão contaminados com o polônio-210, substância que causou a morte do espião russo Alexander Litvinenko no último dia 23 de novembro, em Londres.Os três suecos estiveram no início do outono no hotel Millennium, da capital londrina, onde Litvinenko teve diversas reuniões no dia 1º de novembro.As autoridades sanitárias fizeram testes na urina e sangue dos pacientes, que serão examinados por especialistas dos serviços de radiologia. Os resultados serão divulgados nos próximos dias, ainda que as autoridades considerem pouco provável que eles estejam contaminados e que tenham de tomar outras medidas.Foram as autoridades britânicas que contataram os suecos para informar sobre possíveis casos de contaminação. Outros quatro cidadãos suecos que estiveram no hotel ainda não foram examinados, porque não se acredita que corram risco de contaminação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.