Sueco vai liderar investigação da ONU sobre uso de armas químicas na Síria

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, nomeou o cientista sueco Ake Sellstrom para chefiar uma investigação da entidade sobre alegações de uso de armas químicas na Síria, disse o porta-voz de Ban nesta terça-feira.

Reuters

26 de março de 2013 | 18h28

"Ele é um talentoso cientista com uma sólida formação em desarmamento e segurança internacional", afirmou Martin Nesirky.

A Organização das Nações Unidas afirmou na semana passada que irá investigar as alegações de que rebeldes sírios usaram armas químicas em um ataque perto da cidade de Aleppo, no norte do país, mas países ocidentais buscavam investigar todas as denúncias sobre o uso de tais armas, incluindo acusações de rebeldes de que as forças do governo as usaram.

Se a investigação apontar para o uso de armas químicas pelo governo, isso representaria um golpe para os esforços do presidente sírio, Bashar al-Assad, de se manter no poder. Se o resultado indicar que os usuários foram os rebeldes, a comunidade internacional poderia ficar mais relutante em apoiá-los.

Autoridades dos Estados Unidos e da Europa dizem que não há evidências de um ataque com armas químicas, embora descobrir tais evidências seja o objetivo da investigação de Sellstrom. Se algo for confirmado, seria o primeiro uso desse tipo de arma no conflito sírio de dois anos que, segundo a ONU, já custou a vida de 70.000 pessoas.

(Reportagem de Louis Charbonneau e Michelle Nichols, na ONU; e de Yara Bayoumy, em Doha)

Tudo o que sabemos sobre:
ONUSUECOSIRIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.