Suíça amplia lista negra para Rússia e Ucrânia

País anunciou que 26 indivíduos e 18 organizações ligados à crise na Ucrânia não poderão realizar negócios com intermediários financeiros suíços

Estadão Conteúdo

05 de agosto de 2014 | 11h13

A Suíça acrescentou mais indivíduos e organizações da Rússia e Ucrânia a uma lista negra que tem como objetivo evitar que Berna seja usada para evadir sanções impostas a Moscou pela União Europeia.

O Departamento Federal de Assuntos Econômicos da Suíça anunciou hoje que 26 indivíduos e 18 organizações ligados à crise na Ucrânia serão impedidos de realizar novos negócios com intermediários financeiros suíços, numa medida que evitará que ativos sejam transferidos para a Suíça. A medida vale a partir das 13h (de Brasília) de hoje.

O anúncio vem após a UE e os EUA terem anunciado uma nova série de sanções mais duras à Rússia na semana passada. As nova punições, que se seguiram à queda de um avião de passageiros malaio, supostamente abatido por separatistas pró-Moscou no leste ucraniano, miram segmentos importantes da economia russa, incluindo a indústria de petróleo e o setor bancário estatal. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Suíçalista negra

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.