Suíça congela bens de Mubarak

Segundo chancelaria, medida visa impedir apropriação indébita de patrimônio do Estado egípcio

AE, Agência Estado

11 de fevereiro de 2011 | 16h32

BERNA - O Ministério das Relações Exteriores da Suíça  congelou todos os bens 'possíveis' do ex-ditador egípcio Hosni Mubarak e de seu círculo próximo de aliados, disse uma fonte do governo. Segundo a chancelaria suíça, a intenção é prevenir que ocorra apropriação indébita de patrimônio do Estado egípcio. 

Veja também:

especialInfográfico: A lenta agonia de Hosni Mubarak

blog Cronologia: O dia a dia da crise egípcia

blogTempo Real:Acompanhe no Radar Global e no Twitter (@inter_estadao)

lista Perfil: 30 anos de um ditador no poder 

"Posso confirmar que a Suíça congelou os possíveis bens do ex-presidente egípcio Hosni Mubarak. A medida tem efeito imediato", disse o porta-voz do governo Lars Knuchel. Ele não divulgou a quantia confiscada. Estima-se que Mubarak tenha uma fortuna avaliada entre US$ 40 bilhões e US$ 70 bilhões.

 

Nos últimos anos, a Suíça tem tentado melhorar sua imagem internacional congelando bens de ditadores como o tunisiano Zine Ben Ali e o presidente marfinense Laurent Gbagbo.

 

Mubarak renunciou nesta terça-feira após 18 dias de maciços protestos populares no Egito. Ele deixou o Cairo com a família rumo a Sharm el-Sheik e foi substituído por uma junta militar.

Leia ainda:

link Egito está livre', comemoram opositores

linkIsrael pede respeito a acordo de paz

Com AP e Reuters 

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoSuíçabensMubarak

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.