Suíça debate concessão de verba estatal à imprensa

A Câmara Baixa do Parlamento suíço aprovou nesta terça-feira uma emenda constitucional que cria condições legais para a concessão de subsídios diretos à mídia. A proposta substitui as subvenções indiretas como redução de impostos e dos custos postais. Por 78 votos a 53, o Conselho Nacional aprovou a emenda que, para ser implementada, terá que passar pelo Conselho dos Estados e por um referendo popular, depois do qual o governo pretende elaborar uma lei regulamentando os benefícios. Peter Weigelt, do Partido Democrata Livre, contrário à medida, alertou que os subsídios levarão a imprensa a perder sua independência. ?Qualquer pessoa que pegue dinheiro do Estado logo terá que seguir suas orientações?, afirmou Weigelt. Os defensores da medida afirmam que a concessão de subsídios diretos vai ajudar na manutenção da diversidade entre os jornais suíços. O país, de 7,3 milhões de habitantes, possui atualmente mais de 230 jornais diários e semanais. Hans-Juerg Fehr, do partido Social Democrata, afirmou que as práticas atuais vêm dando suporte apenas às grandes editoras, que não precisam de ajuda, enquanto pequenas editoras estão fechando. Segundo ele, o número de jornais diários caiu 20% nas últimas duas décadas. A concessão dos subsídios viria em boa hora para a imprensa local. Na semana passada, a Associação Suíça de Editoras solicitou ao governo um financiamento de 150 milhões de francos suíços (cerca de US$ 110 milhões).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.