Suíça deve devolver dinheiro de ex-ditador à Nigéria

Quase todo o dinheiro congelado nas contas suíças ligadas ao falecido ditador nigeriano Sani Abacha "obviamente teve origem criminosa" e poderá ser devolvido ao governo da Nigéria, determinou o Ministério da Justiça da Suíça. Dos US$ 480 milhões ainda depositados em contas no país europeu, US$ 473 milhões tinham origem criminosa, determinaram as investigações do ministério. As partes que reivindicam o dinheiro têm 30 dias para apelar da decisão de mais de 50 páginas do ministério. A instância será a Suprema Corte Suíça, cuja decisão não será passível de recurso.As contas de Abacha na Suíça foram congeladas em 1999 a pedido do governo da Nigéria. Desde então, acordos já possibilitaram a devolução de cerca de US$ 200 milhões aos cofres públicos nigerianos. O país africano acusa o falecido ditador de ter roubado mais de US$ 2,2 bilhões durante seu governo, que começou em 1993 e terminou em 1998, quando ele morreu, vítima de uma aparente ataque cardíaco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.