Suíça deve rejeitar proposta sobre reservas de ouro

Os eleitores suíços parecem ter decidido rejeitar uma proposta sobre o aumento das reservas de ouro do país, que está em votação neste domingo. Caso aprovada, a iniciativa forçaria o Banco Central da Suíça a mais do que dobrar a quantidade de ouro que detém atualmente.

Estadão Conteúdo

30 Novembro 2014 | 11h00

Mais de 70% dos eleitores nos cantões suíços de Aargau e Glarus se opuseram à proposta, batizada de "Salve nosso ouro suíço", em tradução livre, segundo a televisão estatal suíça. O chefe do grupo de pesquisa gfs.bern, Claude Longchamp, disse a um canal de televisão que a análise inicial das tendências de voto sugerem que a proposta será "claramente rejeitada".

Os suíços vão hoje às urnas neste domingo em um referendo sobre o plano para proteger a riqueza do País por meio de mais investimentos em ouro. Os defensores da proposta sugerem que o Banco Central da Suíça deveria manter 20% de suas reservas em ouro em até cinco anos, ante os atuais 8%. Isso significaria a compra de cerca de 1,5 mil toneladas métricas de ouro no valor de mais de US$ 60 bilhões.

A iniciativa também impediria a venda de ouro pelo banco central no futuro e forçaria a instituição a repatriar os ativos mantidos no exterior, em países como Reino Unido e Canadá.

No referendo, os eleitores também devem decidir sobre planos para limitar a imigração e acabar com os privilégios fiscais especiais para estrangeiros ricos na Suíça. Também nestes casos, pesquisas de opinião apontaram que as propostas serão rejeitadas.

Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press

Mais conteúdo sobre:
Suíçareferendoouro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.