Laurent Gillieron/Keystone via AP
Laurent Gillieron/Keystone via AP

Suíça leiloa coleção de carros de luxo de ditador da Guiné Equatorial

O pacote de 25 carros de luxo foi vendido por mais de US$ 25 milhões; muitos deles pertenceram a Obiang filho

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de setembro de 2019 | 18h04

GENEBRA - Uma frota de supercarros que autoridades suíças dizem ter apreendido em uma investigação sobre lavagem de dinheiro contra o filho do líder da Guiné Equatorial foi a leilão neste domingo, 29, na Suíça

A frota de supercarros integra o pacote de 25 carros de luxo vendidos por mais de US$ 25 milhões pela casa de leilões Bonhams, que considerou essa uma "venda muito especial". A casa havia estimado arrecadar pouco mais de € 12 milhões (US$ 13 milhões) com o leilão. 

"Os carros representam uma lista de marcas internacionais de prestígio e performance", com modelos como Aston Martin, Bentley, Bugatti, Ferrari e Lamborghini, informou um comunicado da Bonhams. 

Muitos dos carros pertenceram a Teodoro Nguema Obiang Mangue, ex-vice-presidente da Guiné Equatorial e filho do ditador de longa data do país,  Teodoro Obiang Nguema Mbasogo

Obiang filho manteve uma vida luxuosa e cheia de riqueza por anos, passando uma grande parte do seu tempo em uma mansão de 100 quartos na Avenida Foch em Paris, regada a muitas garrafas de champanhe Romanée-Conti Burgundies e dirigindo seus supercarros. 

Em 2007, duas organizações não governamentais e uma associação de cidadãos congoleses no estrangeiro apresentaram uma queixa criminal acusando três chefes de Estado africanos - incluindo Obiang pai, líder da Guiné Equatorial há mais de quatro décadas - por desviar dinheiro público para comprar propriedades ilegalmente na França. 

Autoridades começaram a apreender propriedades de Obiang em 2011, incluindo 11 carros de luxo que incluíam 2 Bugatti Veyrons, entre os carros mais poderosos e caros do mundo; 1 Mercedes Maybach; 1 Aston Martin; 1 Ferrari Enzo; 1 Ferrari 599 GTO; 1 Rolls-Royce Phantom; e 1 Maserati MC12. Mais tarde, autoridades também confiscaram uma propriedade com uma adega.

Em 2016, autoridades suíças confiscaram mais carros como parte de uma investigação de corrupção envolvendo o pai e ordenou o sequestro de um iate. Segundo o jornal francês Le Monde, a coleção de arte do ditador Obiang inclui um Degas e cinco trabalhos de Rodin. 

Obiang filho foi condenado por lavagem de dinheiro e fraude de mais de US$ 100 milhões por uma corte de Paris em 2017 - o caso está parado depois que ele apelou da sentença. A procuradoria de Genebra anunciou em fevereiro que encerrou o caso contra ele. 

O leilão de sua coleção de carros de luxo aconteceu em um mosteiro localizado no Bonmont Golf Country Club, em Genebra. 

Ele apresentou modelos raros, como um Lamborghini Veneno branco e creme, um dos nove automóveis criados para celebrar o aniversário de 50 anos da companhia. A previsão inicial era de vendê-lo por US$ 5,5 milhões e acabou arrematado por US$ 8,4 milhões, incluindo taxas. 

No grupo também havia um Koenigsegg One:1, um dos únicos seis modelos promovidos como os "primeiros mega carros" do mundo, em parte, por sua habilidade de produzir mais de 1 megawatt de potência, e uma La Ferrari que mal foi usada, descrita por seus fabricantes como a "mais ambiciosa" das Ferraris. Ela estava com menos de mil km rodados.

O Estado de Genebra ofereceu a coleção para venda, sem reservas, afirmou um comunicado da Bonhams. O dinheiro arrecadado deve ser doado para uma instituição de caridade na Guiné Equatorial, um país da África Ocidental rico em petróleo, mas de empobrecida população. / NYT e AP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.