Suíça libera para a família a fortuna de Mobutu

A Justiça suíça determinou ontem que a fortuna do ex-ditador da República Democrática do Congo (ex-Zaire) Mobutu Sese Seko, depositada em contas secretas do país, seja desbloqueada e entregue aos herdeiros do ditador. O governo do Congo não cumpriu com os requisitos necessários para ficar com os US$ 7 milhões retidos nas contas de Mobutu após sua morte, em 1997. Quando Mobutu morreu, o dinheiro, supostamente produto de de décadas de corrupção, passou a ser disputado pela família, governo e os próprios bancos. Uma investigação do governo suíço concluiu que os recursos tinham sido transferidos para o país de forma ilegal. A Suíça então manteve o dinheiro bloqueado, esperando uma decisão judicial que permitisse devolver os recursos ao Estado africano. Como o governo do Congo não conseguiu reunir os documentos necessários para repatriar o dinheiro dentro do prazo previsto pela lei suíça, uma corte determinou ontem que o montante seja desbloqueado e entregue aos parentes do ex-ditador. TOTALITARISMOMobutu assumiu o poder no antigo Congo Belga em 1965, após derrubar Joseph Kasavubu e, em 1971, mudou o nome do país para Zaire.Seu regime foi totalitário e corrupto. Enquanto o país empobreceu, o ditador ficou extremamente rico. Depois de 32 anos no poder, foi deposto por Laurent Kabila, pai do atual presidente Joseph Kabila.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.