Suíça manda demitir gerente envolvido com Montesinos

A Comissão Federal de Bancos da Suíça anunciou ter ordenado a demissão do gerente da filial suíça de um banco isralense. Ele teria violado as leis suíças contra lavagem de dinheiro ao aceitar depósitos ligados ao ex-chefe de inteligência peruano Vladimiro Montesinos. Foi a primeira vez em que a comissão de bancos forçou a retirada de um alto funcionário de uma instituição financeira. De modo geral, no entanto, a comissão disse que o caso de Montesinos mostrou que a legislação suíça para impedir a lavagem de dinheiro é eficiente. O governo da Suíça congelou mais de US$ 110 milhões em contas ligadas a Montesinos, em novembro do ano passado. Como chefe de inteligência, ele apoiou o regime do ex-presidente Alberto Fujimori, mas um vídeo mostrou evidências de que ele havia subornado, em proporções maciças, chefes militares, juízes e congressistas. Após fugir do país e ser buscado pela Justiça peruana durante vários meses, Montesinos foi preso em junho, na Venezuela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.