Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
REUTERS/Denis Balibouse
REUTERS/Denis Balibouse

Suíça prende dois suspeitos de planejarem ataque terrorista

Os dois seriam sírios e as autoridades teriam encontrado traços de materiais usados para fabricar bombas no carro usado por eles

Jamil Chade, Correspondente / Genebra, O Estado de S. Paulo

11 de dezembro de 2015 | 17h16

GENEBRA - As autoridades da Suíça prenderam nesta sexta-feira, 11, dois suspeitos em uma operação antiterrorista ao mesmo tempo em que o prédio da ONU e de outros organismos nacionais e internacionais tiveram a segurança reforçada preventivamente. Os dois suspeitos seriam sírios e a polícia teria encontrado traços de materiais usados para a fabricação de bombas no carro usado por eles.

Desde quarta-feira, Genebra vive em estado de alerta. A polícia local recebeu informações da Agência Central de Inteligência americana (CIA) de que amigos de alguns dos terroristas ligados aos atentados de Paris teriam cruzado a fronteira entra a França e a Suíça, na noite de terça-feira, e poderiam estar planejando um ataque contra a sede das Nações Unidas. 

No dia seguinte, o prédio da ONU passou a ser alvo de uma intensa operação de segurança, com policiais armados em todas as entradas e até nos corredores, algo jamais visto nos últimos 20 anos.

Pelos menos duas reuniões diplomáticas foram canceladas na sede da ONU e levadas para "locais secretos". Uma delas envolvia diplomatas dos EUA e Rússia para tentar traçar um plano de paz para a Síria. A outra envolvia mediadores da guerra no Iêmen. 

A embaixada dos EUA também emitiu um alerta a seus cidadãos para que atuem "com cautela" e informem a polícia de qualquer movimentação suspeita. Sinagogas também tiveram um reforço de segurança. 

Pela cidade, a polícia passou a controlar pontes e entrar em linhas de ônibus para controlar os passageiros. A fronteira entre a Suíça e a França está sob grande contingente de militares. Os postos de fronteira suíços registram, por dia, a movimentação de cerca de 50 mil carros, enquanto as cidades do lado francês servem como verdadeiros bairros da "Grande Genebra". 

Apesar da tensão, as autoridades insistiram que não cancelarão os eventos públicos planejados para o fim de semana. No domingo, a cidade tem seu cortejo anual pelas ruas do centro medieval, com pessoas fantasiadas como soldados  desfilando entre milhares de pessoas.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUCIAParisSíriaSuíçaGenebra

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.