Suíça proíbe livro sobre meio-irmão de Bin Laden

O Tribunal Federal da Suíça proibiu hoje a venda de um livro que acusa o meio-irmão de Osama bin Laden de ter estreito vínculos com o líder da rede terrorista Al-Qaeda. O livro "A Verdade Proibida" foi escrito pelos franceses Jean-Charles Brisard e Guillaume Dasquie e sugere que Binladin, que escreve seu nome de maneira diferente da de seu meio-irmão, financiou a rede Al-Qaeda, à qual se atribuem os atentados de 11 de setembro de 2001 nos EUA.A corte disse que a proibição deve continuar até que se conheça o resultado de um julgamento por difamação apresentado perante um tribunal de Genebra por Yeslam Binladin e sua empresa a Investimentos Sauditas e Companhia, contra os autores do livro. Binladin, de 52 anos, viveu na Suíça desde 1985, tornando-se cidadão suíço no ano passado.Ele nasceu na Arábia Saudita e é um dos filhos de Mohammed Ben Oud Ben Laden e de uma de suas 22 esposas. Seu pai gerou 54 filhos, entre os quais Osama bin Laden. Binladin assegura que só se encontrou com seu meio-irmão três ou quatro vezes em sua vida e que deixou de vê-lo quando Osama bin Laden deixou a Arábia Saudita em 1981.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.