Suíça quer reforçar luta contra lavagem de dinheiro

A chefe do departamento financeiro suíço, Eveline Widmer-Schlumpf, pretende implementar a troca automática de informações financeiras na Suíça, um passo que pode enfraquecer ainda mais a prática de longa data de sigilo bancário do país alpino.

AE, Agência Estado

22 de junho de 2014 | 14h05

Eveline disse que a iniciativa pode ajudar na luta contra a lavagem de dinheiro e servir aos interesses da Suíça. Os comentário integram uma entrevista ao jornal suíço SonntagsZeitung.

Segundo as propostas, os clientes do sistema bancário suíço podem optar por pagar um imposto retido na fonte ou permitir que o seu banco forneça informação relevante diretamente para autoridades fiscais.

"É preciso discutir como, em casos de suspeita de fraude e evasão fiscais, informações bancárias possam ser acessadas", disse Eveline ao jornal. O sigilo bancário suíço vem sendo alvo de pressão nos últimos anos pelos países que investigam contas sigilosas de seus cidadãos.

"Você não quer que sonegadores e fraudadores tenham um nível de proteção mais elevado do que as pessoas que agem corretamente", disse a chefe do departamento financeiro suíço. Conforme Eveline, as propostas não significam o fim do sigilo bancário em geral. Ela acrescentou que se opõe a tornar públicos dados bancários ou dar a autoridades acesso irrestrito ao sistema. Fonte: Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.