Denis Balibouse/REUTERS
Denis Balibouse/REUTERS

Suíça rejeita pressão para fechar resorts de esqui

Apesar da pressão internacional, governo deve discutir abordagem 'meio-termo'

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de dezembro de 2020 | 22h04

BERNA, SUÍÇA - A Suíça não cederá à pressão internacional para fechar seus resorts de esqui nas férias de fim de ano, como fizeram alguns vizinhos. O ministro da Saúde, Alain Berset, admitiu nesta quinta-feira, 3, porém, que as taxas de infecção no país continuavam “muito preocupantes”.

O governo deve discutir na sexta-feira, 4, uma abordagem de “meio-termo” para combater a pandemia. A ideia é manter o país aberto, mas exigir da população responsabilidade no cumprimento de medidas de higiene.

Os vizinhos França, Itália e Alemanha fecharam suas estações de esportes de inverno durante as férias. Já a Áustria permitirá que os resorts reabram só no Natal. “A Suíça não cede à pressão de outros países”, disse Berset, depois de visitar profissionais de saúde na Basileia. Autoridades suíças já registraram mais de 340 mil casos e 4,7 mil mortes por covid. / AP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.