Suicida mata 26 pessoas em distrito no noroeste do Paquistão

Atentado aumenta o temor de que a violência se intensifique na região fronteiriça com o Afeganistão

Agência Estado e Associated Press,

28 de dezembro de 2008 | 10h25

Um suicida fingindo precisar de ajuda com seu carro matou neste domingo, 28, 26 pessoas e deixou 15 feridos em Buner, distrito do noroeste do Paquistão vizinho ao Vale do Swat, onde o Exército paquistanês enfrenta militantes há mais de um ano. A informação foi dada por autoridades locais. O atentado aumenta o temor de que a violência se intensifique na região fronteiriça com o Afeganistão, no momento em que tropas paquistanesas são retiradas dessa área para se concentrarem perto da Índia.   Veja também: Milhares de paquistaneses relembram assassinato de BhuttoO local atingido era uma escola, onde eleitores votavam em uma eleição especial para uma cadeira da Assembléia Nacional. "O suicida parou seu carro na frente da seção eleitoral e pediu às pessoas que empurrassem o veículo, dizendo que estava quebrado", disse Mian Iftikhar Hussain, Ministro de Informação da província da Fronteira Noroeste. "Sua intenção era reunir o máximo de pessoas em volta do carro. No momento em que começaram a empurrar o veículo, ele detonou os explosivos."O atentado ocorre em meio a relatos de que o Exército do Paquistão restringiu a folga dos militares e estava retirando milhares de tropas do noroeste para enviá-los ao leste, na fronteira com a Índia. Os dois países vivem um período de tensão desde os ataques em Mumbai no mês passado. A Índia culpou "elementos no Paquistão" pelos ataques, que deixaram 164 mortos na capital comercial indiana. Os países insistem que não desejam uma guerra, porém não descartam uma operação militar. O Paquistão e a Índia travaram três guerras desde a independência de ambos do Reino Unido, em 1947. As informações sobre movimentação de tropas foram dadas por funcionários paquistaneses, sob condição de anonimato. As Forças Armadas do país não quiseram comentar o fato.  

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.