Suicida mata 27 soldados no Paquistão, diz polícia

Um suicida ligado ao Taleban no Paquistão realizou hoje um atentado com explosivos em um acampamento de treinamento militar. O ataque matou 27 soldados e feriu outros 40, na região noroeste do país, de acordo com informações da polícia local. O ataque foi um dos piores contra as forças de segurança do Paquistão nos últimos meses.

AE, Agência Estado

10 de fevereiro de 2011 | 08h43

Um exame preliminar indicou que o autor do ataque era um adolescente, o que é comum no Paquistão, contou o funcionário da polícia Abdullah Khan. O Exército confirmou também que era um jovem com uniforme escolar.

Já um porta-voz do Taleban, Ahsanullah Ahsan, disse por telefone que o autor era um soldado da localidade de Mardan, que se aproximou do grupo, oferecendo-se para "sacrificar sua vida ao Islã". "Aceitamos sua oferta e dissemos a ele que atacasse seus companheiros soldados em Mardan", afirmou o porta-voz.

O atentado mostrou que, apesar das operações militares lançadas durante vários anos contra os esconderijos de rebeldes na fronteira paquistanesa com o Afeganistão, os insurgentes do Taleban e da Al-Qaeda mantêm poder ofensivo. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.