Suicida mata parlamentar provincial no Paquistão

Um jovem suicida matou hoje, no Vale do Swat, um parlamentar contrário ao Taleban. O ataque no Paquistão é mais uma mostra da ameaça militante na região, meses após uma operação militar ali ser declarada um sucesso. O suicida estava entre os convidados do membro da assembleia provincial Shamsher Khan, na casa dele, perto da principal cidade do Swat, Mingora, segundo a polícia e funcionários do setor de saúde. Nove pessoas ficaram feridas, entre elas o irmão do parlamentar.

AE-AP, Agencia Estado

01 de dezembro de 2009 | 13h47

A explosão perto da fronteira afegã ocorreu no momento em que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se prepara para anunciar a nova estratégia a fim de derrotar a insurgência no Afeganistão e no Paquistão, onde os norte-americanos afirmam que a Al-Qaeda e o Taleban ainda têm abrigos seguros. O Paquistão está sob intensa pressão dos EUA para combater os militantes, no noroeste do país, que frequentemente atacam os norte-americanos e as forças afegãs na região fronteiriça.

Em abril, os militares paquistaneses lançaram uma ofensiva de três meses no Vale do Swat e em grande parte retiraram os militantes do Taleban que ali viviam. No meio de outubro, o Exército lançou uma grande operação na região fronteiriça do Waziristão do Sul, onde várias cidades já foram retomadas pelas forças de segurança. Khan era um membro do secular Partido Nacional Awami, que está no poder no noroeste do Paquistão e tem apoiado as ofensivas do Exército contra militantes na região.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoatentadosuicida

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.