Suicidas de Londres queriam se transformar em mártires

Os quatro suicidas que realizaram os atentados de 7 de julho passado em Londres atuaram motivados por "um feroz antagonismo" em relação ao Ocidente e um desejo de se transformar em mártires, segundo um relatório oficial do governo britânico.Em um discurso perante a Câmara dos Comuns, o ministro britânico do Interior, John Reid, explicou nesta quinta-feira que os quatro suicidas começaram a planejar os atentados pouco após voltarem de uma viagem ao Paquistão, em fevereiro de 2005, onde mantiveram contatos com pessoas vinculadas à rede terrorista Al-Qaeda. Os ataques dos quatro terroristas, que eram jovens britânicos de origem paquistanesa e jamaicana, contra três trens do metrô de Londres e um ônibus, causaram a morte de 56 pessoas, incluindo os suicidas, e deixaram 700 feridos.Os autores dos atentados se doutrinaram e se capacitaram para o ataque por si só. Um deles foi muito influenciado por um extremista, segundo o relatório oficial que afirma que não há provas da existência de um quinto terrorista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.