Suicídio é resultado de limbo em Guantánamo, diz NYT

O jornal americano New York Times, afirma que "a notícia de que três prisioneiros em Guantánamo se enforcaram não surpreende a ninguém que prestou o mínimo de atenção à história distorcida do local que o presidente Bush construiu para determinadas pessoas detidas no Afeganistão e em operações antiterror". De acordo com o jornal, o suicídio dos três prisioneiros "foi o resultado inevitável da criação de um limbo de desespero situado fora das leis das sociedades civilizadas, onde homens são detidos sem quaisquer esperanças de receber um tratamento digno, justiça imparcial ou, em alguns casos, até mesmo de ser libertados".O New York Times afirma que detidos em Guantánamo "sofrem abusos, são humilhados e algumas vezes, torturados. Seguramente alguns são perigosos, dedicados a uma vida de terrorismo e merecedores de penas severas?. ?Mas?, continua o jornal, ?apenas dez entre os cerca de 465 prisioneiros foram acusados por crimes. Os demais, segundo oficiais que prestaram serviço no local, eram soldados rasos do Taleban ou apenas pessoas que viviam em um país invadido pelos Estados Unidos após os atentados de 11 de setembro".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.