Yonhap / AFP
Yonhap / AFP

Sul-coreano de 78 anos ateia fogo ao próprio corpo em frente à embaixada do Japão em Seul

Episódio ocorreu em meio ao agravamento das tensões entre os dois países; segundo a polícia, homem planejava se matar para expressar sua antipatia por Tóquio

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de julho de 2019 | 05h05
Atualizado 19 de julho de 2019 | 06h02

SEUL - Um sul-coreano de 78 anos morreu nesta sexta-feira, 19, horas depois de atear fogo ao próprio corpo em frente à embaixada do Japão em Seul, na Coreia do Sul. O episódio ocorreu em meio ao agravamento das tensões entre os dois países. 

O homem, de sobrenome Kim, colocou fogo em si mesmo dentro do próprio carro, que estava estacionado em frente ao prédio da embaixada japonesa. Segundo a polícia, ele havia telefonado para um conhecido momentos antes para dizer que planejava se matar para expressar sua antipatia pelo Japão. Ele chegou a ser encaminhado ao hospital, mas não resistiu. 

A família de Kim disse aos investigadores que o sogro dele foi recrutado como trabalhador forçado quando a Península Coreana estava sob o domínio colonial japonês entre 1910 e 1945, segundo um comunicado da polícia.

As disputas diplomáticas entre os dois países estão ligadas à brutal colonização japonesa da Coreia do Sul. A situação piorou recentemente, após Tóquio endurecer as condições de exportação de vários materiais para Seul. As restrições afetam substâncias químicas cruciais para a fabricação de chips e telas de smartphones, usadas por gigantes tecnológicas sul-coreanas. 

Seul acusa Tóquio de querer se vingar depois de uma série de decisões judiciais sul-coreanas que forçam grupos japoneses a indenizar vítimas de trabalho forçado. / AP, EFE e NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.