Sul-coreano se reúne com assessor de dirigente norte-coreano

Um enviado presidencial sul-coreanose reuniu nesta segunda-feira com um representante do dirigentenorte-coreano Kim Jong Il em momentos em que o país comunistacriticava a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), dasNações Unidas, afirmando que o programa nuclear norte-coreanonão era assunto da agência da ONU. Lim Dong-won, um conselhiero de segurança nacional parao presidente sul-coreano, Kim Dae-jung, viajou para a capital doNorte, Pyongyang, na manhã desta segunda-feira. Lim foiacompanhado por Lee Jong-suk, um enviado do presidente eleitosul-coreano, Roh Moo-hyun, que assumirá o cargo no dia 25 defevereiro. Lim se reuniu com Kim Yong Sun, chefe da Comissão de Pazpara a Ásia e o Pacífico, uma organização partidária queadministra os assuntos intercoreanos, disse Kim Jong-ro,porta-voz do ministério da Unificação da Coréia do Sul. Kim Young Sun é considerado um homem de confiança dodirigente norte-coreano. Costuma acompanhar Kim Jong Il em suasvisitas a instalações militares e industriais. O encontro entre Lim e Kim serviu para tratar de"assuntos de interesse mútuo relacionados com a situação naPenínsula Coreana, sob uma atmosfera de sinceridade", disse adelegação sul-coreana em um informe ao governo de Seul, parte doqual foi divulgado. A Coréia do Norte, por sua vez, através de sua agêncianoticiosa KCNA, disse que a "grave situação" na península eoutros temas foram discutidos. Indicou que as conversações foramrealizadas em "uma atmosfera cheia de sentimentos patrióticos ecompreensão mútua". A KCNA emitiu também uma forte crítica contra a AIEA,qualificando seu dirigente Mohamed El-Baradei como um "servilporta-voz" dos EUA. "Em conseqüência, é uma realidade objetiva (o fato de)que a AIEA não está em condições de tratar dos temas" relativosà Coréia do Norte, assinalou a agência. Anteriormente, a AIEA havia adiado indefinidamente umencontro entre os 35 membros de sua junta diretiva para decidirse o tema norte-coreano deveria ser levado perante o Conselho deSegurança da ONU, depois que a Coréia do Sul disse que istopoderia afetar negativamente seus planos de dialogar com oNorte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.