Sul-coreanos repudiam nas urnas impeachment do presidente

Eleitores sul-coreanos vingaram o presidente afastado Roh Moo-hyun e deram a maioria na Assembléia Nacional ao partido que apóia o mandatário deposto e busca laços mais próximos com a Coréia do Norte e uma maior independência em relação aos Estados Unidos. A eleição completou a virada liberal na política da Coréia do Sul, onde legislativos dominados pelos conservadores limitaram as ações dos poucos presidentes progressistas eleitos, incluindo Roh.A vitória do Partido Uri, que apóia Roh, deverá fortalecer sua posição no momento em que a Corte Constitucional decide seu futuro. Ela também dará mais liberdade a Roh para definir uma política externa em termos mais independentes em relação a Washington e de laços mais próximos com a Coréia do Norte.O Partido Uri, que tinha 49 cadeiras na atual assembléia, conquistou 152, maioria na câmara de 299 assentos, depois de apurados 99% dos votos. Seu principal rival, o conservador Grande Partido Nacional (GPN), perdeu 16 cadeiras e ficou com apenas 121. A opinião pública voltou-se contra o GPN e seu aliado, o Partido Democrático do Milênio (PDM), por terem arquitetado o impeachment de Roh.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.