AP Photo/Ahn Young-joon
AP Photo/Ahn Young-joon

Sul-coreanos voltam às ruas para pedir saída de presidente

Carregando velas e cartazes, os manifestantes se dirigiram aos principais edifícios de Seul, incluindo o palácio presidencial, conhecido como a Casa Azul, e os escritórios do primeiro-ministro

O Estado de S. Paulo

31 Dezembro 2016 | 14h37

Mais de meio milhão de sul-coreanos protestaram novamente neste sábado, 31, para exigir a prisão imediata e a destituição da presidente Park Geun-hye.

Carregando velas e cartazes, os manifestantes se dirigiram aos principais edifícios de Seul, incluindo o palácio presidencial, conhecido como a Casa Azul, e os escritórios do primeiro-ministro.

Segundo os organizadores, mais de 600 mil pessoas participaram do protesto. A polícia não forneceu nenhum número sobre a participação. "Renuncie, Park Geun-hye! Para a prisão agora!", gritava a multidão.

O Parlamento votou no dia 9 de dezembro uma moção de destituição de Park, envolvida em um escândalo de corrupção com uma amiga, Choi Soo-sil, acusada de ter usado a influência sobre a presidente para enriquecer e influenciar em suas decisões políticas.

O Tribunal Constitucional está analisando o caso e tem até 180 dias para aprovar ou não a saída de Park. "Vim aqui para celebrar o ano novo sem Park Geun-hye", disse à agência France-Presse ang Jae-chun, que participou da marcha com seus dois filhos. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Park Geun-hye

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.