Suleiman promete lutar por reconciliação dos libaneses

O comandante do Exército libanês, será eleito neste domingo novo presidente do país

EFE

24 de maio de 2008 | 06h29

O comandante do Exército libanês, o general Michel Suleiman, que será eleito neste domingo novo presidente do país, assegurou que seu primeiro objetivo como chefe de Estado será trabalhar pela reconciliação entre seus cidadãos. Em entrevista publicada pelo diário local "An-Nahar", Suleiman assegurou que agirá "pela reconciliação e a compreensão mútua, o que ajuda a segurança, a estabilidade e a prosperidade". "O Líbano é um país que merece muito. O povo libanês merece a vida, sempre demonstrou que é mais forte que as crises, apesar das lágrimas e o sangue que derramou. Esperamos estar à altura da confiança que recebemos", assinalou Suleiman. O general destacou ainda a felicidade demonstrada pelos libaneses após a assinatura do acordo de Doha, na quarta-feira passada pelos principais lideres do país, "o que demonstra que todos estão ansiosos para alcançar a estabilidade e o entendimento". "Enfrentamos um grande desafio, que requer que unamos nossos esforços, independentemente de nossas diferenças e afiliações políticas", acrescentou. Suleiman, que será eleito depois de a maioria parlamentar e a oposição liderada pelo Hezbollah pactuarem a nomeação e a formação de um Governo de união nacional, também se referiu à ingerência das potências estrangeiras no Líbano. "Quaisquer que sejam as influências externas, que são muitas, não seremos vencidos se nos unimos ao redor dos objetivos nacionais, que são o cidadão e a pátria. Não há poder no mundo que possa fazer frente à vontade do povo", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
Líbano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.