Sunitas convocam 'dia de fúria' no Líbano em meio a crise política

Manifestantes devem protestar contra ganho de poder do Hezbollah às vésperas da formação do novo governo

Associated Press,

24 de janeiro de 2011 | 16h49

BEIRUTE - Parlamentares sunitas convocaram um "dia de fúria" em todo o Líbano nesta terça-feira, 25, para protestar contra os ganhos políticos do grupo xiita Hezbollah.

 

Em uma conferência de imprensa, o parlamentar Moustafa Alloush convocou protestos contra a "tutela persa" no Líbano, em uma referência ao Irã, que apoia o Hezbollah.

 

Ele disse que os protestos devem ser pacíficos.

O Hezbollah assegurou o apoio da maioria do parlamento nesta segunda-feira, 24, para indicar seu candidato ao cargo de primeiro-ministro, o que colocaria o grupo xiita em posição para controlar o novo governo.

 

O grupo deixou o governo do primeiro-ministro Saad Hariri, apoiado pelas potências ocidentais, no dia 12 de janeiro, após a recusa de Hariri em descartar o tribunal que investiga a morte de seu pai, o ex-primeiro-ministro Rafiq Hariri, em 2005.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.