Sunitas qualificam de ´vingança´ execução de assessores

O Comitê de Ulemás Muçulmanos, máxima autoridade sunita no Iraque, qualificou de "ato de vingança" a execução nesta madrugada do meio-irmão de Saddam Hussein, Barzan Al-Tikriti, e do ex-chefe do tribunal revolucionário, Awad Al-Bandar."Há indícios de que aqueles que fizeram a execução se desviaram do que é legal e legítimo (e a transformaram) em uma expressão de vingança", afirmou um membro do comitê, Bashr al-Faidhi, em Amã.Faidhi condenou particularmente o fato de que, durante aexecução, a cabeça de Al-Tikriti foi totalmente separada do corpo e reiterou que esta é uma indicação de que algo estava errado no processo."Os especialistas descartam totalmente que isto possa ocorrer em circunstâncias normais", acrescentou o ulemá iraquiano.Fidhi assegurou que "este incidente desperta suspeitas ecertamente levará o governo iraquiano a um novo beco sem saída".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.