Suposta vítima seria muçulmana da Guiné

O dono de um restaurante de comida africana no Harlem afirmou ser irmão da camareira supostamente atacada por Dominique Strauss-Kahn. Ela seria uma imigrante muçulmana da Guiné. O tabloide "New York Post" disse ontem que ela moraria no Bronx com uma filha adolescente. Segundo vizinhos, ela seria "discreta, sorrindo apenas para algumas pessoas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.