Suposto atentado com gás tenta inibir afegãs em escolas

Dezenas de estudantes e também professoras na capital do Afeganistão, Cabul, foram vítimas de um ataque com um gás desconhecido que foi espalhado em várias classes, disseram nesta quarta-feira funcionários do setor de educação. O incidente foi similar a casos anteriores, quando várias garotas com tontura, dor de cabeça e náusea foram tratadas após os supostos ataques.

AE-AP, Agência Estado

25 de agosto de 2010 | 14h23

Essas ações despertam o temor de que o Taleban e outros fundamentalistas islâmicos que se opõem à educação feminina estejam usando um novo método para assustar as meninas e impedir que elas frequentem a escola. No total, 60 estudantes e professoras da Escola para Garotas Totia foram atendidas. Quase todas haviam sido liberadas no fim da tarde, informou um porta-voz do Ministério da Educação. Segundo o funcionário, o incidente está sob investigação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.