Suposto "cérebro" de atentados no Egito é identificado

Os organismos de segurança egípcios identificaram o suposto "cérebro" dos últimos atentados na Península do Sinai, incluindo o de segunda-feira passada em Dahab, que matou 12 egípcios e seis estrangeiros. Segundo a agência egípcia "Mena", que cita fontes da segurança, o foragido Nasr Khamis al-Malahi é o líder de uma célula cujos membros cometeram também os dois atentados suicidas de quarta-feira passada na região de Al-Gorah, no norte do Sinai, nos quais os dois terroristas morreram. Al-Malahi foi quem planejou e preparou esses atentados, segundo as citadas fontes. Também asseguraram que Al-Malahi é um dos terroristas mais procurados no Egito desde os atentados de outubro de 2004 em Taba e os de julho do ano seguinte em Sharm el-Sheikh, no leste do Sinai, nos quais morreram 34 e 60 pessoas, respectivamente. Al-Malahi e dois de seus ajudantes se escondiam em uma área montanhosa do norte do Sinai, perto de Al-Arich, onde foram surpreendidos ontem à noite pelas forças de segurança que trocaram tiros com eles e mataram um dos três fugitivos. Segundo a "Mena", as autoridades tentam identificar agora o suposto terrorista morto, enquanto os outros dois estão cercados na mesma área, situada entre a montanha de Al-Maghara e a área de Gifgafa. Ainda na mesma região, as forças de segurança confiscaram material explosivo, um fuzil e documentos que incluem instruções para a fabricação de bombas.

Agencia Estado,

30 Abril 2006 | 09h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.