Suposto fogo amigo dos EUA mata 8 policiais afegãos

Apesar de alegarem "falha na comunicação", ambos os lados envolvidos se culpam

Agencia Estado

15 Junho 2007 | 02h47

A polícia afegã atirou 49 lança-granadas nas tropas de coalizão americanas em uma missão na manha desta terça-feira, 12, provocando reação violenta do exército dos EUA, que contra-atacou com helicópteros matando oito policiais, segundo autoridades. O porta-voz da coalizão americana disse que suas tropas foram atacados durante uma missão contra o Taleban e respondeu, apesar de policiais afegãos em um posto policial na desértica província leste de Nangarhar afirmarem que os americanos atiraram primeiro. "Os americanos se aproximaram de nosso posto policial com luzes de seus veículos", disse Esanullah, o comandante do posto, que confirmou a morte de oito policiais, além de quatro outros feridos. "Gritamos para que parassem, mas eles não pararam, e abriram fogo contra nós". A polícia disparou 49 de suas granadas contra forças americanas, e pediu assistência da polícia reserva durante a batalha de três horas. As sirenes nos caminhos de polícia - cheios de buracos de bala após o combate - deveriam ser claramente visíveis para as tropas americanas, disse Esanullah. A suposta falta de comunicação entre as tropas foi taxada como "trágico incidente" pelo gabinete do presidente afegão, Hamid Karzai. A coalizão diz que nenhum americano se feriu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.